Entrada > Destaques > Notícias > Testemunho | Ana Sofia Oliveira

Testemunho | Ana Sofia Oliveira

Ciências e Tecnologias da Documentação e Informação

A Ana Sofia tem 21 anos, é de Gondomar e está atualmente no último ano da licenciatura em Ciências e Tecnologias da Documentação e Informação no Instituto Superior de Contabilidade e Administração. Tem uma grande paixão por fotografia, por ler e um interesse enorme pelas áreas da preservação digital, negócio eletrónico e segurança de dados. Neste momento, integra a AE ISCAP e vai já no segundo mandato como vogal do departamento de Política Educativa. Mantém-se sempre ativa no Instituto e por isso, fez parte da equipa responsável pela organização de duas edições do ISCULTURAP, pela associação de estudantes e ainda, duas edições do Encontro de CTDI como aluno do curso. Para além de tudo isto, integra também a comissão de curso de CTDI sendo vogal do conselho pedagógico.

Conhece melhor a Ana e o seu percurso no ISCAP e descobre mais acerca da licenciatura em Ciências e Tecnologias da Documentação e Informação. 

1.     Atualmente, estás prestas a terminar a licenciatura. Quais foram os motivos para ingressares em Ciências e Tecnologias da Documentação e Informação?
Quando comecei o processo de candidatura ao Ensino Superior ainda não tinha noção do que gostaria mesmo de estudar, pois gosto de bastantes áreas distintas. Assim, comecei a ver as unidades curriculares de diversos cursos e este chamou-me à atenção, principalmente devido às suas unidades curriculares mais tecnológicas. Como não conhecia o curso, procurei referências na Internet e experiências de alunos que já tinham passado pela licenciatura, e os testemunhos pareciam muito positivos, pelo que decidi candidatar-me. Além disso, é uma área com bastante futuro no mercado de trabalho, e é algo que cada vez mais é procurado, pelo que também foi um fator que influenciou a minha candidatura 

2.     Consideras o curso desafiante? Porquê?
Sim, considero o curso desafiante, na medida em que é bastante prático e põe à prova a nossa capacidade de gestão de tempo, pois há sempre imensa coisa para fazer, e é possível, desde que o aluno consiga gerir o seu tempo. Como é uma área que não é abordada no ensino secundário, a maior parte dos conteúdos são completamente novos para os alunos, o que nos desafia a aprender coisas novas todos os dias. Além disso, é um curso que abrange diversas áreas também relacionadas com a Ciência da Informação, tais como a comunicação, gestão e informática, pelo que é necessário que o aluno tenha competências para abordar e estudar todas essas áreas. Diria que o facto de o curso ser tão abrangente é o que o torna tão desafiante.

3.     O que é que te surpreendeu mais no ensino do ISCAP?
A qualidade e exigência no ensino do ISCAP foi algo que me surpreendeu desde o primeiro dia. Além disso, o facto de haver constantemente eventos a acontecer ligadas às diversas áreas lecionadas no instituto, e o próprio encorajamento dos docentes para participarmos nesses eventos, faz com que seja um ensino muito focado na preparação do aluno para a vida futura. A meu ver este é um detalhe que diferencia o ISCAP de outros estabelecimentos de ensino superior, na medida em que o ISCAP tem uma grande preocupação em moldar um aluno para ser um bom profissional, não sendo um ensino exclusivamente teórico. Somos constantemente confrontados com situações reais do mercado de trabalho, e isso é uma mais valia para todos os alunos. Além disso, e falando um pouco mais concretamente acerca do meu curso, dado que somos um curso pequeno, acabamos por ter uma melhor ligação com os docentes e até com a turma em si, pois é possível uma ajuda mais direta e vê-se uma preocupação por parte dos docentes em ajudar os alunos da melhor forma possível. 

4.     Qual é a melhor memória que guardas dos últimos 3 anos?
Sem dúvida que a melhor memória que guardo dos últimos 3 anos são todos os momentos passados com os meus colegas, sejam eles mais ou menos alegres, pois todos serviram para uma aprendizagem e contribuíram para o meu sucesso. 

5.     O que é que te faz feliz no ISCAP?
No ISCAP o que mais me faz feliz é o ambiente que se vive, nunca há monotonia, como já mencionei há sempre algo a acontecer, o que faz com que haja um ambiente incrível neste instituto. Além disso, todas as pessoas com quem convivo no meu dia-a-dia, fazem com que todos os dias haja um momento especial para recordar. O ISCAP é, principalmente, um lugar do qual eu guardo as melhores recordações dos últimos anos, e isso faz-me feliz.